Theatro Carlos Gomes

Em 1890, para atender aos anseios culturais da sociedade simonense da época, foi construído um espaço para apresentações de operetas, revistas de variedades e outros eventos. Era o início do Theatro Carlos Gomes. Com o aprimoramento do cinematógrafo no Brasil, São Simão, por volta de 1908, teve seu cinema instalado no teatro que passou a chamar-se Cine Theatro Carlos Gomes. Em 1926, a estrutura original de zinco, foi substituída por alvenaria e o novo projeto deu ao cine-teatro sua forma definitiva, com plateia, frisas e galeria. 

Os recursos técnicos do cine-teatro estiveram sempre em consonância com a evolução tecnológica. As primeiras projeções de imagens quadro a quadro, foram logo substituídas pelos filmes mudos acompanhados da orquestra da cidade. Já em 1931 foi exibido o primeiro filme falado: “A Marselhesa”. 

O cine-teatro esteve em atividade até os primeiros anos da década de 1960, quando a construção de um cinema mais moderno provocou seu fechamento, permanecendo assim até 1978, ocasião em que foi reformado.  A partir dessa intervenção revitalizadora, tornou-se um espaço difusor de cultura, propiciando a formação de grupos amadores de teatro, grupos de danças. O teatro, como é chamado na cidade, era o local para a realização dos festivais de música, palestras e debates, festivais escolares.

Em 1992 foi interditado por deixar de atender às atuais normas de segurança para espaços públicos. 

A reforma de 2008 procurou restaurar o prédio deixando-o mais próximo possível da construção da casa de alvenaria de 1926. A plateia conta com 164 poltronas, são 22 camarotes para 3 pessoas e as frisas podem receber mais 66 espectadores, a galeria superior abriga 33 pessoas, totalizando 263 lugares.

Nos últimos anos uma variada programação de teatro, dança, música, encontros, foi oferecida ao público simonense.  Os estudantes da cidade asseguraram um contato mensal gratuito com diferentes manifestações artísticas e culturais; o cine-teatro passou a integrar o Circuito Cultural Paulista, programa que a Secretaria Estadual de Cultura desenvolve em parceria com municípios, para cidades que dispõem de espaços físicos adequados às apresentações.