• Prefeitura Municipal de São Simão

Gui Silveiras

Segue abaixo texto enviado pelo participante Gui Silveiras em que conta sua historia, como começou na música e também a historia da composição que traz para o 27º FESICA: Passarinhar


OBS: Transcrito de depoimento oral


Gui Silveiras

Sou da cidade de Tatuí, no interior, aqui do estado de São Paulo e para mim é uma alegria imensa, uma honra poder participar do festival de São Simão. Festival aí que tem tanta história, né?


E falando em história, eu vou contar um pouquinho da minha história, um pouquinho da minha trajetória na música.


Eu cresci na cidade de Caldas Novas, no interior. De Goiás e foi mais ou menos ali, em 98998 que eu tive meu primeiro contato de fato, com o instrumento que foi com violão. Músicas, comecei a tirar músicas da época, muita influência do pop rock do rock in roll é, enfim, do reggae. Axé que rolava muito Caldas Novas. Então, enfim, eu fui influenciando e comecei a me despertar para essa busca de conhecer mais sobre a música, de entender mais, como é que funcionava aqueles acordes, como é que era toda aquela coisa e comecei a estudar e dedicar mais, a entender.


E foi em 2002 que eu tive a oportunidade de me mudar para Tatuí, para estudar no conservatório que tem aqui que é um conservatório super renomado, com pessoas de diversas partes do Brasil, diversas partes do mundo, diversos países, e esse contato foi fundamental para eu desenvolver meu caminho dentro da música que é algo que a gente sempre vai, que é uma construção constante, eterna


Esse período aí que eu estudei no conservatório, que foram 8 anos, me formei em 2 cursos de guitarra. Fiz curso de canto popular, canto lírico. Mas esses eu não terminei, mas cheguei a cursar em 2 canos de canto popular, canto lírico, fiz percussão.


Depois de formado, eu fiz também um tempo de cavaquinho pra estudar e conhecer um pouco mais do instrumento.


Enfim, adoro música, sou ficcionado por música e gosto muito de compor também, compor tanto a música quanto a letra.


Eu vim participando de alguns festivais. Esses festivais autorais, festivais de canção e nesse caminho eu fui conhecendo muitas pessoas. Diversas pessoas, amigos, que hoje são parceiros e entre essas pessoas.


Uma Alegria tremenda de ter construído uma amizade, uma parceria com a Valéria Pissauro que é a compositora letrista. Dessa música que eu fiz a parte melódica e harmônica, ela fez a parte da letra. Juntos, nós criamos essa canção que se chama Passarinhar, que é o que a gente vai levar para você de São Simão.


Assim, esse trajeto maluco dentro do desse universo do som, e espero que vocês participem do evento e que se satisfaçam com toda essa essa Riqueza musical que a gente vai encontrar no festival.


 

A música Passarinhar surgiu mais ou menos em 2020, se eu não me engano, durante a pandemia. Na verdade, a letra surgiu primeiro que a música. Quem me mandou a letra foi a Valéria Pissauro, letrista e poetiza magnífica que eu tenho um prazer imenso de poder ser parceiro, lá de da cidade de Campinas. Então ela me presenteou com essa letra passarinhar e, num dado momento, peguei o violão, e começamos a soltar as Ideias aqui. E aí surgiu Passarinhar, surgiu essa melodia, esses caminhos do violão a partir da letra da querida Valéria. E eu pude somar também com a parte do refrão, trazendo as influências da própria letra. Da simplicidade desse universo, que traz muito essa referência do campo, traz essa referência do da roça. E desse ambiente, desse contato mais próximo com a natureza que eu acho fundamental para a minha existência, com essa simplicidade que vem da Terra, que essa simplicidade que vem do chão, com esse poder observar o movimento, dos bichos, dos pássaros, da mata, da Floresta, das águas, enfim, do vento. Então essa música surge com essas inspirações. A partir da letra eu me inspirei nessas nesses momentos, experiências, dessas observações, do contato com todo esse universo que eu acho maravilhoso e que para mim faz parte. E aí surge Passarinhar. Então, quando a gente tá em contato com tudo isso, a gente canta. E soltar de uma melodia simples, ele é natural. Então eu vim trazendo dessa simplicidade, fui construindo essa melodia. Explorando esse universo da voz, do lírico, tentando trazer essa junção de um lírico com o simples. É, enfim, tentando trazer esse universo todo, não no formato voz e violão.



Conforme texto enviado pelo Participante

 

Nos dias 07, 08 e 09 de julho de 2022, acontecerá na Praça da República em São Simão, o 27º FESICA – Festival Simonense da Canção, com entrada gratuita.

por Renata Robazza Mohap Digital Saiba mais acessando a página do Festival: www.saosimao.sp.gov.br/fesica-2022






3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bilora