História de São Simão - SP

O Caminho de Goyazes e as Sesmarias 

Até o inicio do século XVIII, a região nordeste do estado de São Paulo praticamente era habitada apenas pelos índios Caiapós.

Com a descoberta de ouro em Goiás por volta de 1.720, os bandeirantes paulistas passaram a desbravar o sertão nesta direção. O trajeto aberto facilitou o acesso para várias pessoas que ficavam nos pousos, constituíam famílias e plantavam roças para sobreviver.

Com o reconhecimento oficial, o trajeto passou a ser conhecido como “O Caminho de Goyozes”. O movimento de ocupação foi norteado conforme a existência de solo fértil e também pela presença do comercio que viabilizava os mercados consumidores. Este caminho passava pela região de Tambaú com direção a Cajuru e Franca.

A ocupação de terras por posseiros e a fixação das famílias levou a Coroa Portuguesa a promover um mínimo de administração o que proporcionou a instituição das Sesmarias. 

Desbravadores colonizam a região 

Em que pese à instituição das Sesmarias pela Coroa Portuguesa a ocupação da região continuou desorganizada e irregular. No final do século XVIII e começo do século XIX, a região nordeste do interior de São Paulo começou a ser ocupada por alguns sesmeiros e por posseiros do sul de Minas Gerais e paulistas da região de Campinas e Mogi Guaçu. Estes pioneiros vinham à procura de terras latas e campos para criação de gado.

Por volta de 1.800, quando por aqui chegou Simão da Silva Teixeira, relatos de historiadores dão conta que já existia um pequeno povoado com nome de Tamanduá. 

Inicio do Povoado de São Simão

Como a maioria dos municípios paulistas para o surgimento de São Simão, além deste processo expansionista, contribuiu a crença religiosa dos seus primeiros habitantes.

São Simão é fruto de uma promessa feita pelo sertanista mineiro Simão da Silva Teixeira, que se desviando da rota traçada embrenhou-se num matagal então existente na região. Ali se perdeu e desesperado prevendo a morte, prometeu a construção de uma capela para abrigar uma imagem de São Simão, seu santo protetor. 

Simão da Silva Teixeira cumpre a promessa 

Simão da Silva Teixeira conseguiu achar a saída e, chegou num pequeno povoado onde cumpriu a promessa e em 1824, foi colocada a pedra fundamental da primeira capela. Data que o município escolheu como o inicio histórico do município de São Simão.

Devido a falta de meios de transporte e de comunicação, a formação de um povoado era difícil e lento. Percorrer o vasto sertão era tarefa árdua, as dificuldades de locomoção e comunicação eram intensas, numa época em que o transito era feito no lombo de cavalos e mulas por trilhas precárias.

Simão da Silva Teixeira trouxe de Minas Gerais, seus familiares, agregados, escravos e amigos. Trouxe consigo a imagem do santo protetor. Estava dado o passo decisivo para o povoamento de São Simão. 

Povoado de São Simão se desenvolve

O começo do desenvolvimento de São Simão fundamenta-se neste processo religioso, expansionista e na ocupação territorial que aconteceu na primeira metade do século XIX.

Famílias para cá se dirigiam à procura de terras. A crescente demanda pelo acesso a terra no começo do século XIX expõe uma questão com relação a regulamentação da posse das terras.

Com a independência do Brasil em 1822 ficaram proibidas as doações das Sesmarias. Começou então o processo de regularização das posses de terras e o fundamento jurídico do direito de propriedade.

São Simão passa a categoria de Capela Curada

No Império a Igreja era unida ao Estado, isto é, a religião católica era a religião oficial e quando um povoado subia na esfera eclesiástica, subia também na escala politica administrativa.

Em 14 de maio de 1.835 foi expedida a provisão eclesiástica e, o povoado, é elevado à categoria de Capela (Provisão).

Capela ou Curado ou Capela Curada, era a designação religiosa de uma divisão territorial, era a região que ficava sob a administração espiritual de um Cura (Padre), a quem cabia o direito de administrar sacramentos.

Distrito de São Simão

Em 1.841, Casa Branca que antes pertencia a Mogi Mirim, tornou-se município e passou a ter jurisdição sobre São Simão. Em 1.842, São Simão foi elevado a categoria de Distrito de Paz e no religioso passou a ser “Freguesia”, tornando-se uma paroquia. Além do casamento, também passaram a ser feito o registro das terras.

Em 1.849, com 80 anos, morreu um dos principais percussores  de São Simão. O velho Simão deixou em testamento um legado enorme de doações, principalmente para a igreja. No ano de 1.850, pela Lei nº 16 de 10 de junho, foi criado a primeira escola dedicada às primeiras letras para o sexo masculino.

Fundação Oficial da Vila de São Simão 

Pela Lei nº 75, de 22 de abril de 1.865, a Freguesia de São Simão se desligou de Casa Branca e, tornou-se Vila, superando muitas povoações, que ficaram estagnadas na condição de Capela.

O município de São Simão estava criado, mas ainda continuava subordinado a de Casa Branca. Para se efetivar o desmembramento, tornava-se necessário proceder-se à eleição dos vereadores que iriam compor a nova Câmara Municipal.

A eleição efetuou-se somente em 7 de outubro de 1.866. Um ano e meio depois da criação do município onde votaram 3.167 eleitores.

Emancipação Politica 

Em 13 de novembro de 1.867, numa quarta feira, os sete vereadores eleitos formaram o primeiro Legislativo da Vila de São Simão. Perante o Presidente da Câmara, o Capitão Gabriel de Souza Diniz Junqueira, eles prestaram julgamento.

Enorme, São Simão compreendia todo o território onde hoje se localizam os municípios de Ribeirão Preto, Sertãozinho, Pontal, Dumont, Guatapará, Barrinha, Serra Azul, Cravinhos, Luiz Antônio, Santa Rosa de Viterbo e Santa Rita do Passa Quatro.

 

Rua Rodolfo Miranda, 167, Centro

​São Simão - SP

Ligue

(16) 3984-9070

  • Instagram - White Circle
  • facebook

Prefeitura Municipal de São Simão - Todos os Direitos Reservados ®

Site criado por MOHAP Digital